O futuro da demografia

Hélio Schwartsman

helio@uol.com.br

14/09/2013 – 03h00
SÃO PAULO – O filme é conhecido. O Brasil vive seu bônus demográfico. Com fecundidade cadente e expectativa de vida ascendente, acabamos de superar a marca dos 200 milhões de habitantes. Estima-se que a população deverá ainda crescer mais ou menos até 2040 e, a partir daí, começará a cair. Projeta-se para então uma fecundidade de 1,5, bem abaixo dos 2,1 necessários para repor as pessoas que morrem.
Não há muita dúvida de que o roteiro seja esse. Vários países desenvolvidos já passaram por isso e, hoje, discutem o que fazer para manter o dinamismo econômico e a viabilidade de seus sistemas previdenciários. Mas será que é isso mesmo?
Alguns especialistas sugerem que a história pode trazer surpresas. Mikko Myrskylä, do Instituto Max Planck para Pesquisa Demográfica, crê que, à medida que os países atingem os níveis ótimos de desenvolvimento — IDH, que vai de 0 a 1, aproximando-se e ultrapassando o 0,9 –, a fecundidade para de cair e volta a subir. Uma combinação de mudanças culturais com a bonança material estaria na origem do fenômeno.
Inspirado nos trabalhos de Myrskylä, o economista Peter Berezin, ex-FMI, ex-Goldman Sachs, hoje na BCA Research, fez circular na internet um artigo bombástico com o título “A chegada de um ‘baby boom’ nas economias desenvolvidas”. No texto, ele afirma que os países desenvolvidos estão prestes a experimentar um período de alta natalidade, mais intenso e duradouro do que o que se seguiu à Segunda Guerra. Diz também que as projeções de longo prazo dos governos estão todas erradas por subestimar o aumento populacional.
A exuberância das previsões de Berezin contrasta com o tom bem mais comedido dos trabalhos de Myrskylä, que se limita a afirmar que a magnitude do envelhecimento populacional nos países ricos pode ter sido exagerada e antecipar uma transição demográfica mais suave.
Seja como for, a discussão está lançada.
Bibliografia sobre estes temas:

Jonathan Last. What to Expect When No One’s Expecting: America’s Coming Demographic Disaster, 2013
The Economist.  The coming baby boom? Sep 10th 2013
Myrskylä, Mikko; Kohler, Hans Peter& Billari, Francesco C. 2011. High development and fertility: fertility at older reproductive ages and gender equality explain the positive link. Population Studies Center, Uni-versity of Pennsylvania, Working Paper PSC 11.
Peter Berezin.  The Coming Baby Boom in Developed Economies, BCA Research, 2013
David Fisher. News or Noise: A New Baby Boom, September 09, 2013
Stuart Basten, Wolfgang Lutz, Sergei Scherbov.  Very long range global population scenarios to 2300 and the implications of sustained low fertility. Demographic Research, V. 28, Art 39, 2013, p. 1145-1166
Hélio Schwartsman é bacharel em filosofia, publicou “Aquilae Titicans – O Segredo de Avicena – Uma Aventura no Afeganistão” em 2001. Escreve na versão impressa da Página A2 às terças, quartas, sextas, sábados e domingos e às quintas no site.
Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s